Passar para o Conteúdo Principal
siga-nos

Património: Concatedral de Miranda do Douro vai ser requalificada

16 Janeiro 2014
A Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) vai requalificar a Sé de Miranda do Douro e do antigo Paço Episcopal num projeto que ronda o custo de um milhão de euros.

“A curtíssimo prazo, serão lançadas obras de intervenção na cobertura da Sé, orçadas em 150 mil euros, e que visam minimizar deficiências existentes para depois todo o trabalho se desenvolver em contínuo até 2015”, explicou o responsável pela DRCN, António Ponte, ao jornal ‘Mensageiro de Bragança’.

As obras serão coordenadas pela DRCN, apoiadas pela autarquia de Miranda do Douro e diocese de Bragança-Miranda, sendo que uma das novidades do projeto passa pela mudança da face da degradada Sé de Miranda do Douro (1552) e do Paço Episcopal nos próximos dois anos, revela o jornal regional em comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA.

O bispo de Bragança-Miranda, D. José Cordeiro recebeu a notícia destas obras de requalificação com muita satisfação, revelando ao ‘Mensageiro de Bragança’ que esta era “uma notícia não só esperada mas ansiada, era mesmo necessária”.

Também foi discutida uma das necessidades da diocese que poderá avançar proximamente, a necessidade de ter um arquivo diocesano “capaz”, dado que a diocese tem “documentos antiquíssimos e precisa de um arquivo diocesano que responda às necessidades e um serviço à cultura e à ciência”, sublinhou D. José Cordeiro.

No projeto de requalificação da Concatedral de Miranda do Douro prevê-se ainda a criação de um moderno centro interpretativo nas ruínas do antigo Paço Episcopal, e o restauro de algum património religioso que se encontra na Sé mirandesa.

Segundo dados da Câmara Municipal de Miranda do Douro, a cidade é visitada anualmente por cerca de 120 mil de turistas, que passam “obrigatoriamente” pelo centro histórico, onde a Sé assume um papel de destaque.

Para o presidente da Câmara de Miranda do Douro, Artur Nunes, é preciso contrariar o facto dos monumentos terem sido votados ao “esquecimento” durante vários anos e aproveitar “agora a possibilidade de os ligar e de criar uma nova forma de cativar os turistas que visitam a cidade”.

“No que respeita ao futuro interpretativo, o projeto contempla a recuperação de um imóvel que estava abandonado, situado em pleno centro histórico, que vai assumir novas funções” disse ainda o autarca.

As intervenções fazem parte da ‘Rota das Catedrais,’ iniciativa resultante de um acordo de cooperação entre o Ministério da Cultura e a Conferência Episcopal Portuguesa, que envolve uma série de intervenções em 25 catedrais que vão decorrer até 2015.

Escrito por MDB/MD

Partilhar