Passar para o Conteúdo Principal
beni cun nós

Municípios e DGAV encontram solução para manter matadouros a funcionar

07 Outubro 2016
Foi entretanto encontrada uma solução na maior parte dos municípios para evitar o encerramento provisório dos matadouros por falta de inspectores sanitários.

A DGAV – Direção Geral de Alimentação e Veterinária informou ontem que estabeleceu um conjunto de protocolos com os municípios de Miranda do Douro, Mirandela e Vinhais, no distrito de Bragança e ainda com o do Barroso, para que os Médicos Veterinários Municipais pudessem prestar esse serviço que é essencial para que se possa fazer o abate, de forma a assegurar que não haverá interrupção de funcionamento.

A vereadora da câmara municipal de Miranda do Douro, Anabela Torrão, que é também administradora da empesa municipal que detém o matadouro da localidade explica que esta foi uma solução proposta pela autarquia para evitar que o matadouro deixasse de funcionário.

Em Vinhais, a solução também foi proposta pelo município, até porque o presidente do município, Américo Pereira, afirma que sempre defendeu essa solução.

No entanto, no caso de Bragança mantém-se a incerteza já que não foi possível assegurar um compromisso semelhante, já que se trata do único matadouro municipal das unidades em causa.

O vereador da câmara de Bragança, Gilberto Baptista, adiantou que nos outros casos se trata de empresas, que apesar de municipais têm uma gestão separada das câmaras e por isso os veterinários podem ter uma intervenção, ao passo que sendo o matadouro de Bragança Municipal não poderia ser o veterinário da câmara a prestar esse serviço inspectivo, já que vai contra os regulamentos.

O vereador acredita que a DGAV conseguirá encontrar uma solução para o caso de Bragança e está convicto que a partir do dia 12 os abates não serão suspensos.

Os protocolos estabelecidos com as restantes autarquias em causa, Mirandela, Vinhais e Barroso, são um plano de trabalho especial que assegura o funcionamento dos matadouros destes concelhos referidos matadouros, colmatando eventuais insuficiências que poderiam resultar da cessação de funções de um conjunto de inspetores avençados, que terminam o seu contrato a 12 de Outubro. Os Médicos Veterinários Municipais destes concelhos vão garantir a Inspecção Sanitária obrigatória nos matadouros de Trás-Os-Montes, sob supervisão da autoridade veterinária nacional, enquanto não estiver concluído o procedimento concursal que irá recrutar 13 Inspetores Sanitários em falta na região. Escrito por Brigantia.

Partilhar