Passar para o Conteúdo Principal
Siga-nos

Apresentação do Livro "As cartas que trocamos" de Rui Machado

Cartaz 1 980 2500
23 Agosto 2019

No dia 23 de Agosto, às 17h, na Biblioteca Municipal António Maria Mourinho, em Miranda do Douro, terá lugar o lançamento do livro “As Cartas Que Trocamos”, escrito em coautoria por Rui Machado e Ana Simão.

"As Cartas Que Trocamos” dá, desde logo, azo a que se recupere o prazer de ler uma carta. Não uma mensagem caída na caixa de correio electrónica, não um SMS ou um qualquer “post” numa rede social, mas uma carta. Uma carta de verdade, com corpo e também com alma. Pela qual ansiámos e desesperámos na espera da sua chegada, que finalmente tomámos entre as mãos e cujo peso avaliámos e também a caligrafia, o selo, o cheiro. Que lemos avidamente e à qual, carinhosamente, respondemos, pagando na mesma moeda.

Despojados de preconceitos, nus e crus por amor à verdade, Rui Machado e Ana Simão dão-se a conhecer através das cartas que trocam, ao mesmo tempo revelando um mundo que, sendo o nosso, nos surge completamente diferente, feito de limitações e obstáculos, todo ele envolto numa patine de indiferença e preconceito, mas não desprovido de pessoas boas, de gente amiga. Num acto de coragem, com tanto de dádiva e sorrisos como de dor nas entrelinhas, os autores rejeitam fatalidades e condenam submissões, fazendo da escrita uma prova da sua resiliência e uma afirmação de vida. Ou, como escreveu Torga, o destino destina mas o resto é comigo.

Tem pois, o leitor, com estas cartas trocadas, uma oportunidade rara de perceber com quantas certezas se constrói o amor, com quanta coragem se enfrenta a dor, com quantas palavras se escreve uma vida. Um toque de crispação aqui, um sinal de insubordinação acolá, o descontrolo dum palavrão mais além, esta é uma prosa enriquecedora e estimulante que, de ternura e simplicidade feita, nos prova ser uma miragem a tão propalada máxima “todos diferentes, todos iguais”. Que nos faz tomar consciência disso mesmo e que nos obriga a olharmos o outro de frente, a sermos mais fortes e solidários, a construirmos um mundo mais justo e melhor.

Rui Machado nasceu em 1983 na cidade do Porto, sendo natural de São Martinho de Angueira, Miranda do Douro. É licenciado em Psicologia da Saúde e mestre em Psicologia Clínica. O seu percurso na escrita conheceu o seu início em 2014 com “Finalmente Mar”, no ano seguinte apresentou a prosa em “Uma Forma de Continuar”, um livro de contos e crónicas. “Qualquer dia, Amo-te” foi o seu terceiro livro e o regresso a sua casa: à poesia. A sua quarta publicação foi o conto infanto-juvenil “Maria Cereja e João Violino”.

Mais recentemente esteve envolvido na criação e desenvolvimento do Projecto Janelas onde, junto de cuidadores e técnicos, se procurou promover o desenvolvimento psicoafectivo de pessoas com diversidade intelectual.

Ana Simão é natural de Santarém. Licenciada em Gestão de Recursos Humanos com uma pós-graduação em Gestão de Projectos em Parceria pelo ISCTE – IUL, trabalhou na Câmara Municipal de Santarém, onde exerceu funções na área da cultura, turismo e ação social.

Depois de 25 anos de trabalho e devido a um grave acidente viu-se obrigada a uma aposentação por invalidez. Mas foi nesse momento que descobriu que há milagres e que a escrita, se não salva ninguém, lhe dá esperança e alegria para continuar.

Em 2014 editou “A Menina dos Ossos de Cristal” pelo Clube do Livro SIC, um inspirador testemunho de vida. Seguiu-se em 2016 o romance “Naquela Ilha”, reeditado em 2017 com o título “A Ilha” pela editora Presença.

Partilhar