Passar para o Conteúdo Principal
siga-nos

Gastronomia

Aqui revelam-se sabedorias seculares, usos, costumes e, sobretudo, imaginação que, as mais das vezes, nos fazem sentir o pulsar de uma vida, de uma família, de uma região…. Sabendo que muitos dos nossos visitantes vêm ao nosso Concelho com o objectivo de descobrir a nossa gastronomia, a autarquia de Miranda do Douro, apresenta esta publicação que recolhe uma relação dos pratos típicos da região.  Sustentada pelo gostinho apurado dos condimentos regionais, a gastronomia faz bom jus à sua fama: é da melhor e mais saborosa do País! Vinhos e petiscos quanto baste. Pratos típicos a espevitar as papilas gustativas. Aperitivos líquidos digestivos. Sabores intensos de origens vegetais ou animais. A carne. Os produtos hortícolas vindos das hortas familiares, as carnes autóctones. As doçarias – uma tentação. De origem árabe ou de cariz conventual. Todas elas de sabores e gostos apuradíssimos, de irresistível aspecto e cheiro, provocadores de deliciosos “pecados”. Não há restaurante que se preze que não ostente o seu prato típico o seu melhor prato. No Concelho de Miranda é sempre difícil a escolha, aqui os pratos típicos aliciam-nos e”baralham” as dietas… Quando se sentar à mesa num dos muitos restaurantes do Concelho, esquecer-se-á do relógio e render-se-á aos prazeres da gula.

Para abrir o apetite, aqui ficam alguns pratos da nossa cozinha tradicional: Posta à Mirandesa, cordeiro assado na brasa, bacalhau assado, … bola doce … tudo bem regado com o vinho da região.

Enchidos

Os enchidos, fazem parte de um saber encestral das nossas donas de casa, puro e genuíno, incomparável na mestria e no cuidado com que preparavam os enchidos regionais que ao longo do ano faziam as delícias dos convidados em dias nomeados. Soubemos preservá-lo e traze-lo até aos nossos dias.

imagem

O fumeiro dispensa apresentações, até porque seria impossível reproduzir fielmente através das palavras, tão nobre sabor, apenas conseguido com os saberes transmitidos ao longo dos tempos e com a elevada qualidade das matérias primas utilizadas na sua confecção.

Resta-nos convidar-vos a desfrutar das variedades gastronómicas, culturais e recreativas que este Concelho tem para vos oferecer.

No fim-de-semana de Carnaval, Miranda do Douro coloca à disposição dos seus visitantes aquilo que de mais tradicional possui, no Festival de Sabores Mirandeses. Temos artesãos com trabalhos genuinamente do concelho e paralelamente encontram-se os postos de vendas de produtos regionais geralmente ligados ao porco. Este fumeiro distingue-se do de outras regiões desde logo porque aquando dos temperos em vez de vinho como se faz em muitos locais, é usada água.

Alheira

Por definição, a alheira é um enchido típico da culinária portuguesa cujos principais ingredientes podem ser carne de aves, pão, azeite, banha, alho e colorau.
Nota: Diz a tradição que as alheiras se devem começar a preparar de manhã cedo, para que todo o trabalho possa ser feito no espaço do dia. O pão por ser muito compacto, se deve colocar-se num alguidar, espaçadamente, e não em camadas. Dependendo do gosto, pode pôr –se um pouco mais de azeite, visto serem feitas com carnes pouco gordas.
É característico, em Trás-os-Montes, apresenta-las com batata cozida, cortada ao meio sobre o comprimento e grelos cozidos. Há também quem goste de cortar as batatas cozidas em rodelas e alourá-las na gordura que as alheiras largam, ao fritar ou assar. Para evitar que as alheiras rebentem ao fritar ou assar, há quem as pique com uma agulha.


Bola Doce

A Bola Doce é um ex-libris de Miranda do Douro que, durante alguns anos, esteve ausente das mesas pascais dos Mirandeses mas que com o reavivar da memória e das tradições voltou a aparecer e assumiu um êxito estrondoso.imagemNão se sabe muito sobre quem teria inventado este doce, mas os mais antigos dizem que amassavam o pão à mão e, depois, no estrado do forno comunitário (a lenha), separavam um pouco de massa, juntavam mais alguns ingredientes e faziam a bola doce.

Este doce típico, e exclusivo de Miranda do Douro, é confecionado com farinha de trigo, fermento padeiro, manteiga, açúcar branco e amarelo, ovos, azeite, água e canela.

Como manda a tradição, esta iguaria de qualidade é apreciada na época da Páscoa, especialmente no Domingo de Páscoa e Segunda – Feira de Folar, pelos Mirandeses e por todos os que nos visitam nesta quadra festiva.
É tradição na Segunda-feira a seguir à Páscoa, as famílias irem para o campo comer o Folar, a Bola Doce os bolos secos e o cordeiro assado na brasa.

Posta Mirandesa

A posta de carne mirandesa é uma receita de excelência da cozinha tradicional transmontada. A receita teve origem nas feiras de gado, sendo inicialmente temperada com sal grosso lançado sobre os nacos de carne, dispostos numa grelha bem quente.
A carne de vitela de raça mirandesa é um produto que obedece aos mais elevados padrões de qualidade no seu processo de produção, podendo considerar-se um produto de específico valor biológico.
Para garantir a qualidade da Carne Mirandesa, é exercido um rigoroso controlo sobre todo o processo de produção.
A alimentação dos animais é determinante para a qualidade da sua carne. Os vitelos de raça mirandesa são alimentados exclusivamente à base de produtos naturais, como o leite materno, suplementados com cereais, pastagens e forragens produzidas na própria exploração, sem utilização de fertilizantes químicos.

Partilhar