Passar para o Conteúdo Principal
beni cun nós

Eremitérios

Os eremitérios são estruturas arquitectónicas destinadas à prática da vida eremítica. Muitas vezes, adquire a forma de estrutura rupestre. Este fenómeno eremítico teve o seu auge na Alta Idade Média, amparando-se em práticas monásticas de raíz isidoriana (Isidoro de Sevilha, Regula Isidori, início século VII a. C. ) e frutuosiana (regra de S. Frutuoso, século VI a. C.). Nos séculos X e XI (Reconquista) e seguinte, este tipo de vida continua a ter aceitação. Os eremitérios rupestres destinavam-se, sobretudo, a retiros temporários, destinados à penitência e meditação.
No caso dos eremitérios do concelho de Miranda do Douro, desconhece-se a sua cronologia, com excepção do denominado “Os Santos”. É necessário o seu estudo mais aprofundado.

  • Eremitério Capela de Santo André, Cércio

    santo andre

    A capela de Santo André localize-se no termo de Cércio, junto ao rio Douro, quase no final de uma encosta. Acha-se em degradação. Apresenta a fachada em arco de meio ponto, encimada por uma aduela com a cruz de Santo André, em relevo. No interior, observam-se grandes lajes sepulcrais. No sítio, existe também, uma fonte e uma habitação onde residiam os eremitas. Na área envolvente, podem-se verificar muitos socalcos, onde se cultiva, sobretudo a oliveira. O acesso ao local realiza-se por um percurso pedestre, através de um caminho estreito antigo e, posteriormente, descendo e contornando os vários socalcos existentes. Neste percurso, o visitante vai adquirindo um espírito de paz e tranquilidade. O silêncio e a paisagem convidam à introspeção e ao chamamento para a serenidade. Sente-se e respira-se harmonia.

    A capela de Santo André é referida nas Memórias Paroquiais de 1758.

    Na povoação, existe ainda a tradição oral, de existir ali um frade que comia muito e, por isso, lhe chamavam “Frei Comilão”. Este frade, respondia «Bom é jejuar, mas melhor é não pecar». Conta-se, também, que este frade quando queria passar para o outro lado do rio, onde se localiza a Senhora do Castilho, em Espanha, lançava a sua capa para o rio e assim, cruzava o rio como um barco enxuto.

     

     

    CAPELA, José Viriato [et al.] – “As freguesias do Distrito de Bragança nas memórias paroquiais de 1758 : memórias, história e património.” [Braga] : J.V.C., 2007. ISBN 978-972-98662-3-4. 1038 p.
    MOURINHO, António Maria, Três Eremitérios no Douro, em Terra de Miranda, in Gaya, n.º 5, Vila Nova de Gaia, 1987, pp. 195-198.
    VAZ, Ernesto Albino, Miranda do Douro - Guia do Concelho. Câmara Municipal de Miranda do Douro. Miranda do Douro, 2009.
  • Eremitério Capela de S. Paulo

     

    são pauloo

     

    A capela de S. Paulo localiza-se no termo de Sendim, junto ao rio Douro, quase no final de uma encosta e encontra-se em ruína. Estrutura de planta rectangular, sem divisões internas, com fachada principal marcada axialmente por ombreira que define a primitiva entrada principal, tendo adossado, a E., três compartimentos, igualmente de planta rectangular. Os paramentos interiores e exteriores apresentam vestígios de rebocos, registando-se um

    são pauloo

    fragmento com vestígios de pintura no interior. Nesta capela, está ainda hoje gravada num cunhal de granito, Sul-Nascente, a data de 1596.

    Nas memórias Paroquiais de 1758, sabe-se que aqui habitava um eremitão: “A terceira hé a capella de S. Paulo, para a mesma parte do Poente, em distancia de meia legoa, está situada junto ao rio Douro, aonde assiste hum ermitão. E tem seu monte de carrascos e zimbros, há plantadas alguas oliveiras, tem agoa manancial perenne e seu bocado de horta. Não concorrem romeiros com frequência.” (CAPELA, 2007)

     

     

    CAPELA, José Viriato [et al.] , “As freguesias do Distrito de Bragança nas memórias paroquiais de 1758 : memórias, história e património.” [Braga] : J.V.C., 2007. ISBN 978-972-98662-3-4. 1038 p.
    MOURINHO, António Maria, Três Eremitérios no Douro, em Terra de Miranda, in Gaya, n.º 5, Vila Nova de Gaia, 1987, pp. 195-198.
    VAZ, Ernesto Albino, Miranda do Douro - Guia do Concelho. Câmara Municipal de Miranda do Douro. Miranda do Douro, 2009.
  • Eremitério da Capela das Macieiras/ Nossa Senhora da Conceição

     

    capela das macieiras

    A Capela das Macieiras encontra-se no termo de Prado Gatão, construída em aparelho de alvenaria insossa de xisto, com cunhais em pedra granítica trabalhada. Janelas e portas em granito trabalhado, assim, como a porta de entrada, encimada por um arco. A área envolvente caracteriza-se por campos extensos de mata arbustiva e terrenos de cultivo.
    Ao lado da capela, encontra-se um castanheiro “vivo” com um grande buraco interior, onde entra uma pessoa, conotando o lugar com um interesse curioso e paisagístico. É mencionada nas Memórias Paroquiais de 1758.

     

     

    CAPELA, José Viriato [et al.] – “As freguesias do Distrito de Bragança nas memórias paroquiais de 1758 : memórias, história e património.” [Braga] : J.V.C., 2007. ISBN 978-972-98662-3-4. 1038 p.
  • Eremitério “Os Santos”

     

    os santos

    O Eremitério “Os Santos” é constituído por um abrigo talhado em monólito granítico, ostentando nas faces S., E. e cobertura, painéis com pinturas murais sobre reboco, com temática religiosa. É classificado, como IIP Imóvel de Interesse Público (Decreto: Portaria n.º 443, DR - II série, n.º 49, 09-03-2006). Apresenta duas datas: 1553 - data representada na inscrição do painel da face S. e 1596 - data inscrita num silhar do cunhal S. / E. da cabeceira da capela, permitindo aferir a sua ocupação desde o século XVI. Localiza-se numa zona rural, isolada, implantado em plataforma de encosta de pendor acentuado, sobranceira às arribas do Rio Douro, coberta com oliveiras e vegetação rasteira, no limite das freguesias de Sendim e Picote. Destacam-se as pinturas murais sobre reboco, divididas em painéis, definidos por moldura pintada de preto. A face S. apresenta um painel representando a "Coroação da Virgem", ostentando, na zona
    inferior, a inscrição: "?ES?TA OBRA DE NOSA SNRA SA ?...? /?...?RIA MÃDOU ?FAZER? ?PEDRO? ?AFONSO?. À esquerda, surge um painel representando São Paulo Apóstolo; na face E. do abrigo, no espaço contíguo a esta figuração, encontra-se um painel figurando a iconografia de Santo Antão a visitar São Paulo Eremita. Ladeando este painel, à esquerda, encontra-se um outro quadro, muito fragmentado, onde se indicia uma "Crucificação", estando figurados o braço de uma cruz, ao qual se encontra preso um braço, na posição diagonal, e uma figura sublime com manto. Na cobertura, muito danificada, observam-se vestígios da representação de um firmamento estrelado.

     

    ALVES; Francisco Manuel, Memórias Arqueológico-históricas do Distrito de Bragança, vol. 11, Porto, 1947, pp. 434-436.
    FONSECA, A., Monografia de Miranda do Douro. Miranda do Douro, 1943.
    JACOB, João, "Miranda do Douro, uma visão diacrónica", Estudos Mirandeses, pp. 237-240. Porto, 2000.
    MOURINHO, António Maria, Três Eremitérios no Douro, em Terra de Miranda, in Gaya, n.º 5, Vila Nova de Gaia, 1987, pp. 195-198.
    ROSAS, Lúcia Maria Cardoso, O eremitério Os Santos em Sendim / Picote, in Douro - Estudos e Documentos, n.º 9, Porto, 2000, pp. 47-57.
    VAZ, Ernesto Albino, Miranda do Douro - Guia do Concelho. Câmara Municipal de Miranda do Douro. Miranda do Douro, 2009.

Partilhar